Sangue corrompido

| sexta-feira, 14 de janeiro de 2011 | |
O que seria de nós sem a morte nos separando?
Laços invisíveis prendendo nossas mãos
Nossos corações batendo com um mesmo som
Fazendo da chuva nada além de canções de ninar

Ou um amor envenenado em nossas veias
Cego por lágrimas solitárias
Nós nunca sentiríamos o sabor do nosso sangue
Fazendo da chuva nossa única companhia

O que seria de nós sem a morte nos separando?
Nós nunca saberemos
Então permaneça com os olhos fechados
E eu tentarei viver
E eu tentarei te ver na chuva
Mesmo sabendo que você nunca existiu

O que seria de nós sem a morte nos separando?
Nós nunca saberemos
E eu nunca saberei

Então permaneça sem respirar
E eu tentarei não me sentir sozinho na chuva
Mesmo sabendo que você nunca existiu.

0 comentários:

Postar um comentário