Depois da meia-noite

| terça-feira, 4 de janeiro de 2011 | |
Quatro dias se passaram da meia-noite
E eu ainda penso em como você viu o amanhecer
Se a sua presença estava rodiada de sorrisos
Olhando para o céu acompanhada de mais olhos
Ou se o único som que você ouvia era do relógio respirando

Trezentas e sessenta e cinco estrelas e seis cometas caíram do céu aquela noite
Lembrando de você em todas as luzes que brincavam de quebrar a escuridão
E com os pedaços de novos sonos, de mais dias
Eu te desejei as mais belas canções de ninar.

0 comentários:

Postar um comentário