Chuva

| terça-feira, 22 de fevereiro de 2011 | |
Não leve o silêncio que me traz o amanhecer
Dentro de mim mesmo sendo noite
Não quebre meus sonhos com gotas geladas
Apenas me entregue a única maneira de ver o dia
Por inteiro sem que nenhum pedaço caia no céu
Porque os seus passos fazem o medo ter um pouco de mim
Não grite sobre que meus pensamentos
Eles podem não mais pertencer a mim
O cinza que caminha sem destino pode encantá-los
Como as cores vivendo me encantaram uma vez
Não brilhe perto dos meus olhos
Eu poderei nunca mais adormecer

Eu posso viver sem alma se quiser companhia
Mas abrace a escuridão e não diga adeus
Porque se alguma lembrança respirar aqui
Minha distância ficará longe de mim
E assim não conseguirei mais ver o que me desperta.

0 comentários:

Postar um comentário