Sobre cravos nos caminhos

| quarta-feira, 9 de abril de 2014 | |


















Você me pergunta se quero conversar sobre alguma coisa
Como se me abrir fosse mais fácil do que entregar um falso: "não, estou bem!"
Minha resposta te pede caminhos que possamos seguir
Não tendo certeza, você me entrega corações, belezas e cravos

Então por favor, comece falando, você é bom nesses assuntos
Essas estradas pesam os meus pés, cansam meus olhos e eles lacrimejam
Porque você não sabe, mas todas as vezes que nasço de novo, eu quero morrer
Porque você não sabe, mas todas as vezes que me vejo no espelho, eu desejo a cegueira
Para que eu finja ter o sorrir tão feliz quanto as pessoas em dias ensolarados
Porque você não sabe, mas todas as vezes que sinto o aroma dos cravos
Sim, eu temo cair na luminosa e escura natureza humana

No fim, ninguém percebe que eu sempre digo muito pouco sobre mim
Mas não se preocupe, há apenas um boulevard entre nós.

0 comentários:

Postar um comentário