Inícios

| domingo, 26 de janeiro de 2014 | |
Mais do que um traço, menor do que uma linha
Muito além de uma vizinha previsão minha:
Vazios campos, cheios de brancura em flores
Regadas, sem poucas dores, com perspectivas planas

E as minhas respectivas vidas tornaram-se cotidianas
(Não, não me permitem mentir, os meus Senhores!)
Eu deixei que os dias andassem por mim
Apesar de achar que todos, sozinhos, são assim

Ao cair, no fim aguardado, a direita mão se consertou
Em dois destinos –– como se eu não quisesse!
Em dois inícios –– como se eu bem pudesse!

Perdido, com tanto chão, eu não sei aonde vou...
Talvez eu tente parar de decifrar a minha respiração
E quem sabe, logo, ela me entregue alguma revelação.

0 comentários:

Postar um comentário