Incisão

| domingo, 11 de setembro de 2016 | |
Chegou feito trovões debaixo de sussurros
Dos dedos e cantos –– quase murros ––
De trovadores antigos, também amantes.
Noite após noite, pulavam os médios muros
A falar com aquele que logo estava adiante.

Este brincava que, num dia desses, todos eles
Voltariam com tristes notícias, graves anúncios,
Querendo e não querendo estragar os ênes e os éles
Entre eles. Brincares devotos viram prenúncios!

Metade de mim é não; já a outra, acha que fim,
Porque incerteza é olhos nos grãos de areia;
Porque não saber é insetos envoltos em teia;
Porque dúvida é alívio que nunca tem sim.

Desde então, meu corpo se mostra trêmulo, fraco
E desértica e plana está a minha pequenina alma.
Alguém me diga como volto para o distante íris-arco
Onde o medo, na plateia, era apenas uma palma.

0 comentários:

Postar um comentário