Antes mesmo que você vá

| sexta-feira, 12 de outubro de 2012 | |
Perdoe-me, mas meus olhos querem se tornar claros até desaparecerem
Existem tantas coisas aqui dentro morrendo e nascendo diante da minha alma
De tão rarefeita e perdida, eu não as acho para dizê-las, mostrá-las, todas a você
Mas tudo em mim está silencioso, silenciosamente triste

É cedo demais para sentir a dor, para encarar como já sendo o momento da partida, eu sei
Mas também sei que as pessoas sorridentes ao meu redor não entenderiam, nem poderiam me ajudar
Como uma criança que não consegue alcançar o brilho, sinto-me pequeno
Muito fraco e inútil, eu quero apenas que você não se desgarre dessa minha constelação de única estrela
Ou poder escorregar pelas alturas de qualquer lugar contigo, minha estrelinha cadente!

Perdoe-me por eu te deixar ir tão fácil, por eu ver certa beleza na tristeza
Por eu ter um sorriso no rosto mesmo o meu coração chorando mais do que as geleiras infinitas
Mas eu não posso me colocar em seu caminho te obrigando a voltar
Nem gritar para que ele siga em direção ao que nós sonhamos
Porque ao mesmo tempo em que quero te ver feliz, quero também te entregar minha vida pessoalmente

Se eu tivesse o ouro suficiente para construir uma ponte entre terras, oceano e céu, eu construiria
Assim nós poderíamos nos encontrar na linha onde o dia e a noite se misturam para a troca das horas
Mas os meus bolsos são vazios, cheios de muitos desejos quebrados por não serem realizados
Eu te esperarei; esperarei páginas, estações e recomeços, o quanto for necessário pelo seu regresso
E ainda que a quietude do meu pulsar não seja o bastante, acreditarei na continuidade do existir além do fim
Mas antes que eu atravesse para o outro lado, tentarei voar e sentir o cheiro salgado das ondas
Descobrir quais foram as direções que te fizeram chamar outro futuro, e não o do meu lado, de casa
E rasgá-las para que fiquem atrás de mim, enquanto piso no desconhecido chão ao encontro das suas esmeraldas

Eu nunca tive tanto medo de fracassar quanto agora, porque qualquer erro, qualquer falta de força nestas mãos
É o mesmo que te perder por completo, a queda das alianças que nunca colocamos nos nossos dedos
Por favor, perdoe-me, caso eu chegue atrasado para o toque da realidade em nossa história
Mas lembre-se, eu te amo muito e aceito o seu pedido, viveremos juntos para sempre
Apenas não se esqueça de dizer ao amanhã que me sussurre onde você está e que ele nos pertence.

1 comentários:

Letícia Says:
20 de outubro de 2012 19:12

Parece-me um grito!
Lindamente triste. De uma tristeza motivadoramente bela.

Postar um comentário